Resgatar quem somos, é tão importante quanto para onde vamos?

“Creio que uma forma de mostrar quem fez trabalhos de vulto no cenário brasileiro é por meio da crítica genética e da comunicação, pois muitas sugestões ou colaborações chegaram por intermédio de pessoas ligadas a outras áreas da cultura, literatura, arte.”

[…]
“Na minha opinião, urge não só um olhar inventariante mas também uma espécie de atitude de valorizar o que é da nossa terra, para que gerações hodiernas e vindouras tomem conhecimento do que foi realizado e constitui a nossa história projetual e possam fruir, se identificar, sem interferências de influências externas; questiono parafraseando Vicente Barreto: O Brasil é o lixo que consome ou tem nele o maná da criação?”

Vanessa Johnson

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s